Arquivo do mês: janeiro 2013

It’s alright.

Bom, antes de tudo: feliz ano novo. É. Faz, sei lá, três meses e sete dias que não posto nada aqui.  E mais de quatro que não posto nada de útil. As I said on blogspot: tenho boas razões. Estava estudando.

E, bom, não passei na UFMG.

Acho que essa é a razão por eu estar voltando a escrever aqui. Mas não quer dizer que eu vá ficar a toa, não mesmo. Passei na UFOP. Claro que seria muito melhor para mim continuar na minha casa, tendo que pagar apenas o busão de ida e volta e o almoço no bandejão da UFMG, mas estudar na UFOP… caras, é um sonho realizado. Sério. Desde quando eu decidi o meu curso, eu sonhei com a UFOP, que é DE LONGE a mais especializada. Vai ser difícil sair de BH, procurar um lugar para ficar em Ouro Preto, ficar longe dos meus amigos, da minha família. Em compensação, estarei fazendo o curso que eu quero, na faculdade que eu sempre sonhei.

Poderia ser pior. Eu ia fazer o vestibular da UnB, mas por azar eles tiveram que mudar o dia da prova, e foi junto com a prova da UFMG. Não ia dar tempo de voltar, logo… deixa para lá. Melhor assim.

Anyway, formei né. A formatura foi linda. Chorei horrores.

E, apesar de tudo, vou sentir falta da minha turma. Aliás, já estou sentindo falta. Mesmo depois de tantas brigas – e até mesmo um post xingando todo mundo -, eles são meus amigos. Não todos, e não são tão amigos assim, mas, de qualquer forma, quem não tem uns amigos filhos da puta? Eu tenho vários. 302 tá aí. Com todo o respeito, claro.

E, bem lá no fundo, mas beeeeeeeem lá no fundo mesmo, vou sentir uma puta falta da escola. E uma falta ainda maior do meu banquinho perto da sala dos professores ♥ Aquele banquinho é meu, e ninguém tasca. Vou sentir falta dos meus horários vagos, que eu pegava um livro e ficava deitada no banquinho, tomando sol, esperando dar o horário de ir embora. No início da aula que eu chegava na escola e sentava no banquinho, jogando minha mochila para o lado e correndo para terminar algum dever, morrendo de medo que o professor chegasse bem na hora e me visse copiando de alguém. As conversas, as risadas, as piadas, as fofocas – ah, as fofocas – que aquele banquinho ouviu… ah, se aquele banquinho falasse…

E meus professores, for sure. Mas esses eu já prometi que vou voltar lá de vez em quando para dar um abraço neles e manterei contato pelo facebook, telefone, e-mail, sinais de fumaça. Nenhum deles têm razão para se preocupar com isso. Exceto os que eu não gosto, mas aí já é outra história.

Mudando um pouco de ambiente e seguindo um pouco mais pela avenida, o cursinho. Cara. O melhor ano da minha vida até agora. Juro. E olha que nem aconteceu nada de tão importante assim.

Apenas conheci algumas pessoas maravilhosas, que me proporcionaram tarde e noites divertidíssimas. Me fizeram chorar nos últimos dias de aula. Me fizeram subir a Serra do Curral correndo e chegar no topo morrendo de cansaço e dor, mas sorrindo feito boba. Me fizeram rir das questões do ENEM na cara de todo mundo e sair da sala me sentindo a Rainha do Nilo. Me fizeram gostar de física! Me fizeram AMAR biologia, apesar de não ser lá minha área. Culpa da professora que, aliás, estou morrendo de saudade. Me fizeram perceber o valor de boas amizades. Ah, caras, amo vocês também.

Prometo que também vou visitar vocês.

E vou subir a Serra do Curral de novo.

Enfim.

It’s alright. It’s always alright. Eu é que não vou ficar me preocupando com o fato de não ter passado na UFMG. Tenho apenas 17 anos e sou caloura em uma das melhores faculdades do país, em um dos cursos mais lindos do universo. Mas minha opinião não conta.

~mudei o fundo do blog. Claro, minha diva, Patrícia Pillar, sempre. Mas vão falar que ela não está simplesmente DI-VI-NA nessa novela. Hein? Hein?

Prometo não abandonar essa porcaria de novo.

Mentira.

Agora é que vai ficar às moscas mesmo. Dá até dó. Mas fazer o quê?

Ano novo, vida nova.

E a Nanyzinha aqui também tá mudando, porra.

That’s all folks~~

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized